domingo, 30 de novembro de 2008

Um ano sem sentido


"Lembrem de mim como de um que ouvia a chuva
Como quem assiste a missa
Como quem hesita,
mestiça,
Entre a pressa e a preguiça.
Acordei bemol...
Tudo estava sustenido...
Sol fazia...
Só não fazia sentido..."

Paulo Leminski

domingo, 16 de novembro de 2008

Tempo de Travessia





Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas
Que já têm a forma do nosso corpo.
E esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares.
É o tempo da travessia.
E se não ousarmos fazê-la,
Teremos ficado, para sempre
À margem de nós mesmos.

Fernando Pessoa

sábado, 15 de novembro de 2008

O vento (Quintana)






No fim tu hás de ver que as coisas mais leves são as únicas
que o vento não conseguiu levar:
um estribilho antigo
um carinho no momento preciso
o folhear de um livro de poemas
o cheiro que tinha um dia o próprio vento.