segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Fruto da liberdade



O vento pode soprar em você
mil palavras.
Mas palavras, sempre palavras
Se perdem nas asas do tempo.
Força capaz de transformar o mundo:
O silêncio.
Estranho fruto da liberdade
Guardião de nossos segredos.

Maria Lúcia de Almeida


quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Recordações


Nuvens de lembranças
São atalhos
Sinais a me guiar pelo caminho.
Lugar mágico
Que a imaginação redescobre
- recortes de saudade -
Entre as noites e os dias.

Toda a magia da viagem
Em mim carrego:
Foi riso, foi choro
Foi tristeza, foi alegria
Aromas fugazes, breves momentos
Certo alguém de minha história.

E nessa viagem das recordações
- que o tempo não apaga -
Sigo em sintonia com o vento:
Vou semeando a minha paz,
Vou colhendo poesia.


Maria Lúcia de Almeida

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Cantigas de viver


No ar
Os perfumes do inverno
Vão compondo
Cantigas de viver
Que a chuva traz.
Ora sou música,
Ora danço
Nas águas que se desmancham
Sem deixar vestígios
- numa clara certeza -
De que sempre haverá
Um novo começo.

Maria Lúcia de Almeida