quinta-feira, 23 de junho de 2016

Um dia, um adeus





Nas ruas, o silêncio.
Na madrugada morna,
Uma leve brisa com cheiro de verão.
Na verdade, os cheiros se misturavam
Um pouco de tudo que para ela
A cidade representava:
- liberdade, mistério,cumplicidade, paixão -
Sentimentos com cheiro
Que só cidade exalava.
Suaves momentos foram o prenúncio
De uma breve despedida.
Uma alma, uma cidade e uma história
Tiveram seu ultimo encontro
Com dia e hora marcada.

Maria Lúcia de Almeida


quarta-feira, 22 de junho de 2016

Ilusão


Quem sou eu além daquela que quero ser?
Do tempo escondido na própria vida
Fui refém.
Deixei a vida passar, e com ela a realidade.
Agora já não sou eu,
Sou metade.
Salva pelas mãos delicadas de um anjo,
Fotografei a felicidade por uma porta entreaberta.
O anjo contou-me um segredo hilário:
 - Era a porta da ilusão -
Fui para o seu lado...
Mas você sempre ao contrário.

Maria Lúcia de Almeida