domingo, 18 de novembro de 2007

Mamãe Sabiá





Outro dia, enquanto eu e meu filho dávamos uma limpeza na varanda de casa, descobrimos, caído, entre as folhas secas no chão, um filhote de passarinho.
Minha primeira reação foi de levá-lo ao colo e verificar se estava machucado.
No exato momento em que me abaixei para apanhar o filhote, apareceu, mais rápido que um avião-caça, uma enfurecida mamãe sabiá, atacando-me com bicadas por todos os meus lados. Rapidamente, meu filho tomou o passarinho de minhas mãos e colocou-o no ninho vazio, entre os galhos de uma árvore que pendia para nossa varanda.
Que alívio! A sabiá voou em direção ao ninho e ali, mais calma (acreditei), ficou protegendo o filhote.
Mais à tardinha, quando voltei para terminar o serviço, lá estava o filhote caído no chão, em sua segunda e frustrada tentativa de alçar voo. Pensei: “Agora que estou sozinha, não vou correr o risco de levar uma bicada de sábia bem no olho”. Virei as costas e continuei a varrer na varanda. Foi então que escutei um barulhinho atrás de mim. Olhei, e lá estava ela, a mamãe sabiá, pelo chão e – pasmem – acompanhando-me! Eu andava para a direita, e ela também. Para a esquerda, e lá vinha ela, bem atrás. De imediato, como só uma mãe pode entender uma outra, captei o silencioso pedido de socorro da minha vizinha sabiá. Devagar e com todo carinho, apanhei o filhote no chão e recoloquei-o no ninho. E ela ali, mamãe sabiá,quietinha, só me observando. Depois voou em direção ao ninho e abriu suas asas ao redor da cria.
Sentei-me na mureta da varanda, pois estava emocionada. No mesmo instante, veio a minha mente uma manchete de jornal que havia lido a umas poucas semanas: “Mulher, logo após parir, embrulha o bebê em saco plástico e atira-o no rio”. Sem conseguir conter as lágrimas, envergonhada de minha raça, corri para dentro de casa.

Maria Lúcia de Almeida

2 comentários:

Luciana Pessanha Pires disse...

Maria Lucia, querida, que crônica belíssima! Fiquei muito emocionada com esta história e com o final surpreendente.
Ótima semana, amiga!
Beijo e carinho

Luciana Pessanha Pires disse...

E que experiência, heim! Imagino sua emoção.