quarta-feira, 25 de março de 2015

Muda a estação e a poesia.


O vento na tarde
Se faz outono
Na espera
Da suavidade do frio.
Alguns sonhos
Em flor desvanecem
Buscam na alma
O agasalho.
Mas a folhagem vermelha
 - Silenciosa e sem alarde -
Sugere novos caminhos.

Maria Lúcia de Almeida