sexta-feira, 29 de junho de 2007

Avesso



Estico a linha
Nó na alma
Caio em buracos
Acordo em templos
Faço mágicas
Vendos sonhos
Rasgo-me,
Depois remendo.
Assim vou levando a vida
Não reclamo dos tropeços
Vou costurando meus retalhos
Alegres, tristes, grandes ou pequenos.
Sonhos, amores, ideais
Amassados, roidos, esquecidos
Todos têm as suas cores
Qualidades e defeitos.
O que importa é viver intensamente
Remendada, costurada ou colada
Quem sabe até bizarra!
Esse é meu avesso...
E acreditem, tem encanto.

Maria Lucia de Almeida

Um comentário:

Luciana Pessanha Pires disse...

Que blog lindo, minha querida maria Lucia! Parabéns!
Beijo