quinta-feira, 8 de abril de 2010

Amigo...



Seus olhos eram estrelas
Que cintilavam no verde da água
Seu sorriso farto como o oceano
Irradiava o branco da lua
Seu coração tinha a pureza
De uma mata virgem intocada
Possuía a beleza dos pássaros selvagens
E a inocência de seus vôos noturnos
Você era tudo e era nada
Tudo significava e nada condenava
Você era a emoção que exala
De uma criança dormindo
Você era amor que desperta carinho
Você era homem e menino
Você era meu amigo.

Maria Lúcia de Almeida

Nenhum comentário: