sábado, 17 de julho de 2010

Névoa Primordial





Sou tudo
Sou nada
- transparência -
Sou caos
Sou ordem
-  névoa primordial -
No barco sem leme
- sou rumo -
No mistério
Sou o mundo.

Maria Lucia de Almeida

2 comentários:

JB disse...

Gostei do movimento interior do poema!

Muito bonito!

Beijinho

Prosa & Verso disse...

Obrigada, JB
Feliz em lhe ver por aqui.
Beijo!