domingo, 22 de junho de 2008

Reverso do espelho


Por esta estrada do tempo
Misturamos as horas no caminho.
Túnel de acesso aos sentimentos mais íntimos
Lugar mágico de lembranças em múltiplas formas.
Minha alma se comove com as imagens
Meus sentidos se expandem com o vento
Apaziguante sensação de unicidade.
Sede de vida em cor lilás:
Todas as pessoas nascem
Todas as pessoas morrem
Todas as pessoas são viajantes
Desta mesma estrada.
Fios de braços entrelaçados,
Formamos o todo.
As marcas permanecem através do tempo
E assistem a nossa passagem
Como um reverso do espelho.

Maria Lúcia de Almeida

Um comentário:

Chris Herrmann disse...

É sempre um prazer ler seus escritos, Maria Lucia. Este é mais um que me tocou profundamente. Lindíssimo!
Beijos,
Chris