segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Em algum lugar

Em algum lugar eu li: " Qualquer regra é um engodo". "Deixe as pessoas apenas serem..."
Mas essa não seria também uma regra?
Temos nos massacrados, uns aos outros, suavemente, mesmo que com boas intenções.
De relance passa pela minha cabeça: ' Esse mundo é uma casa de loucos'.
Encontro-me sorrindo. Olho pela janela e vejo as folhas ao vento. Imagino que estão rindo comigo.
Sinto alívio de minha própria seriedade.
Esse era o meu jeito de viver. Deixar que as pessoas entrassem e saíssem de minha vida, contentando-me com o que tinha, com quem ficava e com o que gostava menos. No entanto chega uma hora em que a gente se cansa de encontros e desencontros equivocados.
Nesse mundo de loucos, desconfio que sempre fui a mais louca.
Passei anos de minha vida lendo romances em que as heroínas podiam tudo. Bastava um telefonema para quem queriam e as pessoas vinham sempre. Eu me sentia como essas heroínas, rodeada de pessoas, e tinha um descanso delicioso enquanto lia.
No entanto, minha vida não é um romance e muito menos posso deixar que se pareça com uma novela mexicana. Resumindo: nada deveria ser desse jeito!
Fim da "hora da comédia" proporcionada por mim. A voz da sobrevivência  grita mais alto: "Viva! Sorva a taça até o fim! Procure pelo verdadeiro amigo."
Nesse instante não me sinto mais louca, e nem o mundo me parece só uma casa de loucos.
Afinal, a ilha da comunicação perfeita deve existir em algum oceano perdido.
E lá vou eu, sonhar de novo.

Maria Lucia de Almeida

Um comentário:

RAQUEL CRUSOÉ disse...

Excelente o seu blog, parabéns !

Obrigada por estarmos juntas. Você vale ouro e, neste momento especial,tem um presente para você em nosso blog. Espero que goste.

Atenciosamente,

Raquel

http://raquelcrusoe.blogspot.com/