segunda-feira, 26 de agosto de 2013

No seguir do rio

Sigo a vida
Outras paragens
Esqueço o passado
Busco harmonia.

E ao contemplar o sol
Refletido em belas margens
Se eu pudesse...
Daqui não sairia.

No fundo de águas claras
A quietude guarda mistérios
Aqui não existe dor,
Nem velhas e tristes mágoas.

E no aconchego do silêncio
Na paz dessa sabedoria
Nasce uma mística beleza
Que emerge em mim,
Feito uma ilha.

Maria Lúcia de Almeida

2 comentários:

Gilberto disse...

Adoro seus textos Lu e sinto-me um privilegiado em poder contar com esta sua digna amizade.
Tudo muito perfeito...muito lindo.

Maria Lúcia de Almeida disse...

Obrigada, pela visita meu poeta e meu amigo!
A admiração é recíproca! Você sim, é um grande poeta.
Beijos e volte sempre!